Clientes

Conheça nossa experiência

Experiência R&A

ANIP – Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos

ANIP – cartilha 1Em 2011 a Ruschel & Associados editou para a ANIP – Associação  Nacional da Indústria de Pneumáticos, um conjunto de materiais educativos como parte do Reciclanip – o programa de coleta e destinação de pneus inservíveis que em 10 anos tirou 310 milhões de pneus do meio ambiente, através de 600 postos de coleta em todo o Brasil. Trata-se de um programa de respeito internacional. São 2 cartilhas (uma para consumidor final e outra para funcionários do trade) e 1 poster para revenda.  A cartilha para consumidor final tem 16 páginas e 3 MB – para baixá-la, acesse http://www.ruscheleassociados.com.br/2011/01/cartilha-sobre-reciclagem-de-pneus/ANIP – cartilha 1

Preparação de relatórios anuais

A Ruschel & Associados tem ampla experiência na pesquisa, produção de conteúdos, redação, diagramação e edição de cases e relatórios anuais, com trabalhos premiados em concursos nacionais e internacionais para organizações como:

• Banco Bradesco

• Vale S.A. / Fundo Vale

• Votorantim – Votorantim Metais

• Coimex Agrícola

• Fundação SOS Mata Atlântica

• Walmart Brasil

• Banco do Brasil

• Itau – Unibanco

• Cargill

Suporte em audiências públicas

A Ruschel & Associados presta serviços de apoio a empresas em audiências públicas de apresentação de EIA-RIMAs com a análise crítica das apresentações, trabalho de ombudsman, coaching dos apresentadores e a aplicação de um “check-list” de 60 pontos. Estes serviços otimizam investimentos do empreendedor – nos quatro projetos com os quais contribuimos os investimentos ultrapassaram os US$ 3 bilhões:

• Votorantim Celulose e Papel (Projeto P-2000, em Jacareí-SP)

• Vale do Rio Doce (Projeto Níquel do Vermelho”, em Carajás-PA)

• International Paper (Projeto Três Lagoas, em Três Lagoas-MS)

• Veracel (duplicação de fábrica, em Eunápolis-BA)

Instituto Walmart

A Ruschel & Associados presta serviços de consultoria corporative e desenvolvimento gráfico de estudos para divulgação dos programas do Instituto, como para a série “Mapa de Soluções Inovadoras – Tendências de Empreendedores na Construção de Negócios Sociais e Inclusivos”. Este projeto, desenvolvido em parceria com a Ashoka, sistematiza e dissemina conhecimentos sobre a prática de empreendedores que, de forma inovadora, têm construído no Brasil negócios sociais e/ou inclusivos.

Estes estudos estão disponíveis no site da Ruschel & Associados – o primeiro deles pode ser baixado no endereço http://www.ruscheleassociados.com.br/2011/03/mulheres-%E2%80%93-um-diagnostico-da-participacao-feminina-na-economia-brasileira/

Agfa

A Ruschel & Associados presta serviços de consultoria corporativa e de marketing e comunicação para valorização dos benefícios pró-sustentabilidade dos produtos, serviços e processos da Agfa Latinoamerica. Entre os serviços estão a produção de um perfil corporativo abordando a contribuição e os compromissos da Agfa pem serviços gráficos mais sustentáveis e o desenvolvimento de um selo de certificação sobre a economia de água, energia e ausência de produtos químicos dos produtos Agfa junto às gráficas. O estudo está disponível no link http://www.ruscheleassociados.com.br/2011/06/compromissos-e-contribuicao-da-agfa-para-um-mundo-com-servicos-graficos-mais-sustentaveis/

Vale – Fundo Vale

A Ruschel & Associados presta serviços de pesquisa, monitoramento, redação, diagramação e inscrição de cases para concursos e premiações do Fundo Vale no Brasil e exterior. O Fundo Vale é um agente de Investimento Social Privado da Vale SA criado em 2009 e com qualificação de OSCIP, que investe recursos técnicos, humanos e financeiros em iniciativas de conservação e uso sustentável dos recursos naturais como forma de promover o desenvolvimento sustentável no bioma amazônico.

Jornal Valor Econômico

Em parceria com o jornal Valor Econômico a Ruschel & Associados realiza uma campanha de educação ambiental corporativa relacionada à valorização do Investimento Social Privado (ISP) junto a líderes empresariais, leitores do jornal de economia mais importante do Brasil. O objetivo é estimular que mais empresas realizem ISP através de suas inúmeras formas: doações, programas de RSE, patrocínios, marketing relacionado a causas, volountariado e filantropia. O programa é feito através da divulgação de informações e da apresentação de boas práticas de empresas e institutos corporativos em anúncios publieditoriais e de um hotsite (www.investimentosocial.com.br/oi ). O programa teve início em setembro de 2011 com o apoio do Instituto Oi Futuro, gestora de RSE da empresa de telecomunicações Oi.

Socicam Terminais de Passageiros

No segundo semestre de 2009 a Ruschel & Associados foi contratada pela Socicam Terminais Rodoviários – a maior gestora de terminais rodoviárias da América Latina – para colaborar na definição de uma Política de Responsabilidade Socioambiental. O trabalho incluiu a revisão das práticas ate então adotadas, a aplicação de um questionário de auto-reflexão proposto pelo Instituto Ethos e a definição de uma estratégia de implantação.

Em janeiro de 2010 a Ruschel & Associados iniciou a implantação desta Política, com quatro objetivos ao longo dos próximos 12 meses: a montagem de um “retrato socioambiental da empresa em dezembro de 2009”, a definição de indicadores socioambientais a serem alvo prioritário do programa, a montagem de um “retrato socioambiental desejável para a empresa em dezembro de 2010” e a preparação do primeiro Relatório Socioambiental da empresa.

O projeto como um todo, que deve se encerrar em 2012, tem como objetivo agregar valor à empresa, que será o resultado do valor da marca + o valor da gestão + o valor da atividade (gestão privada de terminais).

A Socicam Terminais de Passageiros foi fundada em 1972, e atua na administração, operação, manutenção e limpeza de terminais de ônibus urbanos, rodoviários, aeroportos, estacionamentos, centros comerciais e centrais de atendimento ao cidadão, agregando tecnologia e qualidade à prestação de serviços voltados para a área de transporte. Atualmente é responsável pelo gerenciamento de 42 dos principais terminais rodoviários nacionais, inclusive o Terminal Tietê, o maior do País. Também administra 26 terminais urbanos na cidade de São Paulo e mais três em Osasco, dois aeroportos, três centros comerciais, cinco unidades do Poupatempo e 12 estacionamentos. Tem ainda participação em empreendimentos como o Shopping Santa Cruz. Possui mais de três mil funcionários e recebe, ao todo, mais de 600 milhões de pessoas em suas unidades operacionais anualmente. Já está operando na America Latina, a partir de um primeiro contrato no Chile.

Walmart Brasil

No segundo trimestre de 2009, em parceria com o Instituto Envolverde, a Ruschel & Associados colaborou no planejamento, organização e realização do programa “Diálogos para a Sustentabilidade Wal-Mart Brasil – Construindo a Cadeia de Suprimentos do Futuro”.

A iniciativa focou três temas – Amazônia, Embalagens e Cadeias Produtivas – e consistiu da produção de três relatórios setoriais com 38 páginas cada que foram utilizados como base informativa para a realização de três encontros de “Diálogos com Stakeholders” em Brasília e São Paulo e em três workshops participativos, que reuniram mais de 450 representantes do poder público, da academia, fornecedores, ONGs e entidades.

Os workshops geraram mais de 300 sugestões de oferta de cooperação em iniciativas conjuntas com o Wal-Mart. O resultado destes encontros serviu de base para que a empresa anunciasse seus “Compromissos pela Sustentabilidade do Wal-Mart Brasil para o período 2009-2013” no dia 23 de junho de 2009. A Ruschel & Associados fez a editoria executiva dos três relatórios setoriais e a coordenação dos três workshops.

Em janeiro de 2010 a Ruschel & Associados fez a edição executiva de outros dois relatórios da mesma série “Diálogos para a Sustentabilidade Wal-Mart Brasil – Construindo a Cadeia de Suprimentos do Futuro” – um sobre o Projeto End to End – sustentabilidade de ponta a ponta e o outro sobre Pescados.

Os arquivos de memória do evento e os compromissos públicos da empresa podem ser conhecidos aqui neste site ou no site  http://www.walmartbrasil.com.br/sustentabilidade

Solicite uma apresentação deste case e cópias gratuitas dos relatórios setoriais em PDF pelo e-mail rogerio@ruscheleassociados.com.br ou pelo fone +55-11-4702-9006

ACCE – Associação de Construtoras de Centrais Energéticas

A ACCE – Associação das Construtoras de Centrais Energéticas formada por doze empresas filiadas, entre as quais Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, CBPO, C. R. Almeida, Mendes Júnior e Odebrecht, centralizou a participação dos grandes construtores no processo de elaboração da legislação brasileira sobre concessões de serviços públicos.

Em junho de 1991 – um ano antes da Eco’92 – a Ruschel & Associados realizou para a ACCE um “Estudo sobre as relações entre a produção hidro-energética com o meio ambiente e as comunidades do ponto de vista da formação de opinião pública”.  Na época a geração de energia era exclusividade do Poder Público. Estudamos diferentes cenários comparativos entre os conceitos de GCH – Grandes Centrais Energéticas e PCH – Pequenas Centrais Energéticas; propusemos um código de ética socioambiental, o “Protocolo ACCE sobre Energia, Desenvolvimento e Meio Ambiente” e recomendamos o investimento em Pequenas Centrais Energéticas.

ADELG – Associação de Desenvolvimento do Leste do Guarujá

Entre 2001 e 2002 a Ruschel & Associados foi contratada pela ADELG – que reúne proprietários de condomínios residenciais de altíssimo padrão no Morro de Santo Amaro, município de Guarujá-SP – para planejar, desenhar e implantar um “Projeto de desenvolvimento sustentável” para a região.

Recomendamos a criação de uma RPPN – Reserva Privada de Patrimônio Natural – o Parque Ecológico Serra do Guararu – com 1.400 ha constituída a partir da cessão de áreas dos condomínios, em troca de potencial construtivo no município. O Parque está sendo implantado – já conta com 2 RPPNs – e promoverá atividades de preservação ambiental e cultural, educacionais, de lazer e de produção auto-sustentável.

Para gerenciar as atividades do Parque com governança, transparência e eficiência propusemos e constituímos a Fundação Litoral Verde, com Conselheiros convidados entre entidades públicas e privadas do município.

Solicite uma apresentação completa deste case, pelo e-mail rogerio@ruscheleassociados.com.br ou pelo fone +55-11-4702-9006

Para saber mais acesse http://www.adelg.com.br

Bahia Sul Papel e Celulose (Grupo Suzano)

Em 1996 realizamos para a Bahia Sul Papel e Celulose (então uma empresa do Grupo Suzano), uma ”Pesquisa de avaliação de preços de ‘features’ de valor ambiental em produtos” para subsidiar decisão sobre investimentos para a produção de celulose com maior ou menor valor ambiental agregado (cloro free).

Como base do estudo realizamos pesquisa junto a 120 empresas no mercado internacional (importadores) que permitiram a definição de estratégias de preço e marketing. Para evitar a identificação do autor da pesquisa – realizada com base em questionários de auto-preenchimento – a Ruschel & Associados operou o projeto a partir de um escritório alugado em Miami – USA.

Também para a Bahia Sul implantamos, em 1997, um “Programa Permanente de Pesquisa de Grau de Satisfação dos Clientes”

Banco Bradesco

capabradesco

Em 2008 o Bradesco contratou a Ruschel & Associados para estudar e transformar o projeto de criação da Fundação Amazonas Sustentável em um case para participar em concursos.

Para atender a solicitação, a Ruschel & Associados preparou 4 diferentes versões do case, incluindo uma delas em inglês, para o concurso “FT SUSTAINABLE BANKING AWARDS 2008”, realizado peldo jornal britânico Financial Times.

Buana Parque

Em 1997 e 1998 a Ruschel & Associados realizou consultoria para a Família Wentzler – proprietária da Fazenda Barão de Santa Branca, de grandes dimensões – para organizar a idéia inicial de implantação de um parque agro-cultural-ecológico no município de Guareí/SP.

O Buana Parque já estava em construção – sem nenhum projeto e sem estudos financeiro e mercadológico prévio – e a Ruschel & Associados teve que reorganizá-lo, buscando consistência institucional (preparação e aprovação de ante-projetos) e coerência mercadológica (estudos de viabilidade econômica) para o mesmo.

A concepção gerou o Buana Parque, um conjunto de projetos entre os quais:

• Criatório de animais selvagens

• Teatro interativo ao ar livre

• Centro de educação ambiental com programação diversificada

• Centro de compras de produtos naturais e restaurante de carnes exóticas

• Parque de safári fotográfico e pólo de atração ecoturística

• Universidade aberta, com cursos de caráter agro-cultural-ecológico

Com o falecimento do proprietário o projeto foi abandonado em 1998.

Bayer S.A.

Programa Bayer Jovens Embaixadores Ambientais – Feira de Hannover 2.000

Durante três anos, entre 2006 e 2008, a Ruschel & Associados coordenou para a Bayer SA o capítulo brasileiro de um projeto internacional, o “Programa Bayer Jovens Embaixadores Ambientais” (Bayer Young Environmental Envoy) realizado em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA, com o apoio do Ministério do Meio Ambiente do Brasil.

O Programa seleciona anualmente quatro estudantes universitários brasileiros, autores de estudos ou projetos ambientais, para representarem o Brasil em um Encontro Internacional de Jovens Embaixadores Ambientais, no fim do ano, na Alemanha. Os projetos são avaliados por uma Comissão Julgadora de alto nível, com auditoria da PricewaterHouseCoopers. Além de contribuir a nível de planejamento internacional, a Ruschel & Associados respondeu pela coordenação executiva e secretaria do Programa no Brasil.

Como membros da Comissão Julgadora participaram Mario Mantovani, Adalberto Marcondes, Julio Tocalino Neto, Cyro Eyer do Vale, Fernando Altino, Enio Viterbo, Hiram Firmino, Liana John, Oswaldo Massambani, Maria Cecilia W. de Brito, Renato Marques e Silvestre Gorgulho. Em 2008 a memória dos primeiros 5 anos do concurso foi registrada em um livro editado por Rogerio Ruschel, diretor da Ruschel & Associados. Saiba mais sobre o livro clicando AQUI (link para Cursos, Palestras e publicações)

Comissão Julgadora BYEE 2007

Comissão Julgadora BYEE 2007

Banner BYEE 2007

Banner BYEE 2007

Identificação de projetos brasileiros para a Feira de Hannover 2.000

A Feira de Hannover do ano 2.000 comemorou a virada do século e 100 anos de Feiras Internacionais. Em um Pavilhão especial foram apresentados projetos selecionados sobre a utilização da tecnologia a serviço do homem e da natureza. A realização do evento e o regulamento com o processo de seleção foram divulgados pela representação diplomática da Alemanha. No caso do Brasil, a Ruschel & Associados viabilizou um “Programa de Divulgação do evento”, criando e distribuindo um folheto especial para 6.000 formadores de opinião, com a colaboração da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha e o patrocínio da Bayer S.A.

Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha

Prêmio von Martius de Sustentabilidade

A Ruschel & Associados propôs, criou e vem colaborando com o Departamento de Sustentabilidade na gestão do “Prêmio von Martius de Sustentabilidade”, realizado pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha. Lançado no ano 2.000 pela Câmara Alemã para valorizar iniciativas ambientalmente corretas nas categorias Natureza, Humanidade e Tecnologia, o Prêmio von Martius de Sustentabilidade foi o primeiro concurso da América Latina a ter procedimentos auditados (pela PriceWaterhouseCoopers nos primeiros 7 anos e atualmente pela BRTÜV) e já avaliou um total de 1.324 projetos inscritos nas primeira nove edições, até o ano 2008. é também o mais seletivo, porque premiou apenas 72 dos casos inscritos.

Conta com o o apoio do PNUMA – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Ministério do Meio Ambiente, CEBDS e WWF, patrocínio de empresas como Henkel, Siemens, BASF, Tetra Pak, Degussa, DaimlerChrysler, Odebrecht, Volkswagen, Voith, Schering, Petrobras, Faber Castell e Deutsche Bank e com jurados presidentes de empresas como Klaus Behrens, Daniel Feffer, Hermann Wever, Ingo Ploger, Felix de Bulhões e Edgar Horny, e jornalistas de prestígio como Claudio Savaget, Adalberto Marcondes, Vilmar Berna, Ayrton Prado Filho, Silvestre Gorgulho, Liana John, Roberto Vilar Belmonte, Sandra Sinicco, Lucia Chayb, Julio Tocalino e Carlos Fioravanti.

A Comissão Julgadora da Edição 2008

A Comissão Julgadora da Edição 2008

Em novembro de 2005 a memória do Prêmio foi registrada em um livro que teve 5.000 exemplares distribuidos gratuitamente. Editado por Rogerio Ruschel, diretor da Ruschel & Associados, até hoje ainda é o maior banco de dados de projetos socioambientais já publicado. Saiba mais sobre o livro clicando AQUI (link para Cursos, Palestras e publicações)

Camping Club do Brasil

Entre 1998 e 1999, a Ruschel & Associados  desenvolveu atividades de revitalização mercadológica do CCB – Camping Clube do Brasil, o mais antigo e maior operador de campismo do Brasil. A atividade estava em declínio no país por duas razões: por um lado uma mudança de legislação passou a exigir carteira de habilitação de motorista profissional de caminhões para quem quisesse dirigir um motor-home; por outro lado o perfil do campista estava envelhecendo, com a falta de renovação de usuários.

Baseada em pesquisas com usuários e não-usuários, e na realidade da empresa e do potencial de mercado do campismo no país, a Ruschel & Associados fez várias atividades de marketing e comunicação:

• reposicionamos o CCB como “o maior clube de vida ao ar livre do Brasil”, para revitalizar a organização

• desenvolvemos programas de comunicação segmentada para públicos com estilo de vida potencialmente mais próximo do campismo, com o tema “Não espere outros 500 anos – descubra o Brasil agora. O CCB mostra o caminho”, numa referência às comemorações de 500 anos do país, no ano 2.000

• realizamos programas de marketing direto com associados (campanha member-get-member)

• criamos novos títulos para associar jovens, como o Passaporte de Usuário e o Cartão da Aventura, que hoje no fim de 2008 respondiam por quase metade da receita.

Infelizmente os novos dirigentes do CCB eleitos no ano 2.000 não deram continuidade ao programa de revitalização, e a entidade voltou a ser desconhecida e sem atratividade para novos associados.

Coimex Agrícola SA – Grupo Coimex

No início de 1997 a Ruschel & Associados foi procurada pela Coimex Agrícola – empresa do Sistema Empresarial Otacílio Coser, na época um dos tres maiores grupos empresariais do Espírito Santo.

Desde 1989 a Coimex vinha investindo no desenvolvimento agronômico e industrial de um palmito derivado da Pupunha (Bactris Gasipaes), oriundo da região amazônica, como substituto mercadológico do palmito derivado da Juçara (Euterpe edulis), espécie de Mata Atlântica ameaçada de extinção pelo extrativismo predatório.

A proposta da Coimex era atender os mercados nacional e internacional de palmito, que durante muitos anos teve o Brasil como principal produtor e que, por problemas de legislação equivocada (do IBAMA) e falta de seriedade dos produtores e distribuidores, foi tomado por produtores da Costa Rica. Fomos convidados a colaborar porque o processo produtivo completo – plantio, colheita e industrialização – já havia sido dominado pela Coimex, mas faltava resolver um problema fundamental (e no mínimo curioso) que inviabilizava a comercialização do produto batizado de Ecopalm: o preço final que não era competitivo pela simples razão de que a empresa pagava impostos e competia com produtores que operavam à margem da lei.

O Ecopalm tinha um preço final cerca de 20% superior ao palmito extrativista Juçara, pela estrutura de custos envolvida:
• Custos sociais e trabalhistas (o extrativista contrata mateiros para roubar o palmito; o Ecopalm produzia  120 empregos diretos, via CLT)
•  Amortização dos investimentos agronômicos (o extrativista simplesmente furta o produto da floresta; o Ecopalm era produzido com critérios científicos)
• Amortização dos investimentos industriais (o extrtivista era “embalado” no meio da floresta, geralmente a noite, para fugir da fiscalização do IBAMA; o Ecopalm requereu o desenvolvimento de equipamentos inexistentes)
• Impostos e taxas (o extrativismo frauda guias e é vendido sem nota fiscal; o Ecopalm paga todos os impostos de uma atividade legalmente constituída)

Além disso existia outro problema grave: o mercado recusava o Ecopalm, porque preferia trabalhar sem Nota Fiscal.

A solução apresentada pela Ruschel & Associados foi reposicionar o produto, informar e sensibilizar o mercado (atacadistas, distribuidores e supermercadistas) e o consumidor final (através da imprensa e de formadores de opinião na área ambiental) sobre o porquê do preço superior, e ao mesmo tempo alertá-los sobre os riscos legais, sociais e de saúde pública apresentados pelo palmito Juçara produzido de forma extrativista sem controle.

O trabalho foi realizado através de apresentações, vídeos, folhetos e participação em feiras comerciais, além de um amplo programa de visitas organizadas às fazendas e a indústria, no norte do Espirito Santo. Mais de 40 jornalistas, 30 representantes de ONGs e autoridades públicas e 120 representantes de redes varejistas visitaram as instalações em grupos de 8 a 12 pessoas, durante quase dois anos.

Os principais resultados foram:
• A aceitação do produto por parte de comerciantes com maior responsabilidade social
• A assinatura de um convênio de apoio com a Fundação SOS Mata Atlântica
• Dezenas de reportagens positivas
• O projeto recebeu três premios ambientais – um Diploma do Prêmio Eco, da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, o título de Projeto Auto-sustentado da Revista Natureza e um prêmio da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro
• A criação da ABRAPALM que congrega atualmente outros produtores de palmito auto-sustentado

O case foi também discutido em âmbito acadêmico (tanto de agronomia quanto de marketing). A publicação do mesmo na revista “Case Studies”, do IBMEC, exemplifica o status que o projeto conquistou.

Solicite uma apresentação completa deste case, incluindo as pesquisas realizadas pelo e-mail rogerio@ruscheleassociados.com.br ou pelo fone +55-11-4702-9006

Digiprom – Tecnologias sustentáveis

No ano de 2007 a Ruschel & Associados foi contratada pela Digiprom, uma pequena empresa de tecnologia de conservação de recursos hídricos e energéticos incubada em Piracicaba-SP para a definição do planejamento estratégico (conceituação de modelos de negócios, desenho de arquitetura de parcerias, definição de cronograma de ação e um modelo organizacional) e para construção de uma estratégia de marketing e comunicação (avaliação e desenho de planos de mercado para os diversos segmentos potenciais, posicionamento mercadológico e planejamento da comunicação).

Seu principal produto era o controlador eletrônico de fluxo de recursos hídricos (CERH), um equipamento acoplado a chuveiros com desligamento automático ou agendado que permitia reduções consideráveis de consumo de água e energia. A Ruschel & Associados organizou “pacotes” mercadológicos” para segmentos específicos como a hotelaria, a indústria e a construção civil (banhos para operários). Desenhados os produtos e feitos os primeiros contatos com potenciais clientes, o principal investidor desistiu dos aportes na empresa que estava sendo incubada, inviabilizando as atividades.

ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing

Em 1991 a Ruschel & Associados viabilizou e realizou, em parceria com a Feeling Editorial (editora da “Revista Imprensa” e “Imprensa na TV”), o “1º Curso de Informação Ecológica para Formadores de Opinião”. O objetivo foi preparar jornalistas brasileiros para a cobertura da Eco´92, que se realizaria no ano seguinte. Durante 4 meses, 56 palestrantes – acadêmicos, lideranças ambientais, empresários, pesquisadores, políticos e artistas – debateram temas ecológicos com 66 alunos, jornalistas de todo o país.

Entre os palestrantes do curso estavam Fabio Feldman, Gilberto Gil, Rubens Born, Roberto Klabin, Rik Turner, Angelo Machado, João Paulo Capobianco, Liana John, Édis Milaré, Samuel Murgel Branco, Carlos Celso do Amaral, Aristides Rocha, Antonio de Mello e Freitas, Gilberto Januzzi, Neuza Serra, Luis Carlos de Menezes, Kazue Matsushima, Marco Antonio Victor, Rodrigo Lara Mesquita, Clayton Lino, Lauta Tetti, Claudio Savaget, Eloi Zanetti, Flavio Terra Barth, Luis Weiss, Ivan Carlos Maglio e Marcelo de Andrade.

Em 1993, a R&A montou um curso sobre Desenvolvimento Sustentável na ESPM – o primeiro da America latina – para dar continuidade a este trabalho.

Fundação Martius de Ciência e Cultura

Em 1995 a Fundação Martius de Ciência e Cultura – organização não-governamental sem fins lucrativos mantida pela comunidade germânica em São Paulo, mais tarde associada à Fundação Porto Seguro – contratou a Ruschel & Associados para planejar a implantação de um Centro de Educação Ambiental no Morro do Guararu, região leste da Ilha de Santo Amaro, município de Guarujá, estado de São Paulo – local onde se localizava o Forte de São Filipe da Bertioga, no qual o aventureiro alemão Hans Staden teria trabalhado, e também onde foi prisioneiro dos indios tupinambás, entre os anos de 1.550 e 1.554.

Os objetivos do projeto eram:

• Promover a preservação dos recursos naturais e do patrimônio histórico e cultural da região

• Realizar programas de educação ambiental e cultural através de convênios com abrangência regional, estadual, nacional e internacional envolvendo o Poder Público, instituições educacionais, ONGs e a iniciativa privada

• A partir do investimento inicial (realizado por empresas através de recursos incentivados e ONGs internacionais), o Centro de Educação deveria ter  auto-suficiência gerencial e financeira e independência política do Poder Público

A Ruschel & Associados realizou ampla pesquisa ambiental, cultural e mercadológica, desenhando um projeto abrangente e factível, com um cronograma de implantação em 48 meses e investimento total de R$ 1.835.000,00 a serem cobertos por doações programadas de empresas brasileiras e alemãs e instituições como o Governo da Baviera (estado da Alemanha) e Fundações culturais e ambientais européias. Pela arquitetura institucional proposta, o CEAG teria gerência privada, o Estado não investiria recursos próprios mas seria o proprietário do projeto depois de implantado.

A implantação do CEAG – Centro de Educação Ambiental do Guarujá prescindia da publicação, no Diário Oficial do Estado de São Paulo, de uma permissão específica, o que foi feito pelo então governador Mario Covas. Motivada pelo projeto, a SEMA – Secretaria Estadual do Meio Ambiente, na época dirigida por Fabio Feldmann quis ampliá-lo criando um Parque Estadual no entorno. Por esta razão iniciou a realização de estudos técnicos que burocratizaram insuportávelmente o processo, provocando a desistência dos investidores.

Goodyear

Em 1995 a Ruschel & Associados desenvolveu para a Goodyear uma “Cartilha de Educação Ambiental” que reforçava o trabalho que a empresa vinha realizando junto a seus públicos internos e comunitários.

IBV – Instituto Brasil Verdade

Em 2005 fomos contratados por um grupo de empresários, jornalistas e produtores culturais para criar uma OSCIP dedicada à educação e à cidadania. Organizamos uma proposta básica, fizemos apresentações para cerca de 100 pessoas, instituimos jurídicamente a instituição, desenvolvemos um Plano de Negócios e um site próprio, que recebe cerca de 350 visitants/dia. Em 2006 a Ruschel & Associados foi convidada para assumir a Diretoria Executiva como terceirizada, incluindo a cessão da sede que funciona em nosso escritório.

O IBV é uma organização da sociedade civil fundada em 2005, reconhecida como OSCIP, sem fins lucrativos, apartidária, independente e democrática, que tem como objetivos promover educação e acesso à informação sobre os direitos e deveres constitucionais dos brasileiros – especialmente para as pessoas mais necessitadas – como base da cidadania e do desenvolvimento social, econômico e cultural sustentado. O IBV realiza inúmeros programas de educação que já beneficiaram mais de 8.000 pessoas:

• Educação complementar: capacitação para o trabalho

• Educação e inserção digital

• Educação complementar: cursos de idiomas

• Educação musical – Programa Hip-Hop patrimônio Público

Equipe da TV Tribuna gravando reportagem

Equipe da TV Tribuna gravando reportagem

Para saber mais clique AQUI

Educação para a cidadania eleitoral
Um dos programas do IBV, o Movimento Amigos do Guarujá, realizou em 2008, em parceria com o Voto Consciente e a Amarribo, um programa de educação para a cidadania eleitoral que incluiu a distribuição de 40.000 cartilhas sobre o voto consciente, a capacitação de mais de 100 pessoas como Agentes da Cidadania e a realização da primeira pesquisa candidatal” do Brasil (com o perfil de quase 200 candidatos). O resultado foi uma virada histórica: o movimento conseguiu barrar a re-eleição de 7 ex-vereadores e o ex-prefeito cassados pela Justiça Eleitoral. Saiba mais clicando AQUI

International Paper

Em abril e maio de 2006 a Ruschel & Associados colaborou na preparação de executivos da International Paper Brasil para uma Audiência Pública de apresentação do EIA-RIMA do projeto de implantação de uma fábrica de papel e celulose em Três Lagoas-MS, um projeto da ordem de US$ 1,5 bilhão preparado pela ERM Brasil. Assim que a licença ambiental foi concedida, a International Paper transferiu o projeto para o Grupo Votorantim, num acordo de troca de ativos e de interesses.

Em parceria com a ADS – Assessoria de Comunicações, a Ruschel & Associados colaborou no programa de treinamento de executivos para o desempenho em contatos com jornalistas (“Media Press”) e na revisão das apresentações do Empreendedor e da ERM para a Audiência Pública. Também aplicamos nosso “check-list” de 60 pontos, desenvolvido a partir de experiências anteriores realizadas para VCP – Votorantim Celulose e Papel e para a Companhia Vale do Rio Doce.

Solicite uma apresentação deste case, incluindo o check-list de 60 pontos pelo e-mail rogerio@ruscheleassociados.com.br ou pelo fone +55-11-4702-9006

PricewaterhouseCoopers

Em 2002 realizamos para a PricewaterhouseCoopers Auditores, uma auditoria de opinião com 14 diretores de publicações sobre meio ambiente, de 7 estados, sobre o setor siderúrgico brasileiro. Entre os auditados estavam os jornalistas Silvestre Gorgulho, Claudio Savaget, Vilmar Berna, Hiram Firmino, Lucia Chayb, Adalberto Marcondes e Peter Milko.

A pesquisa integrava um estudo de alto nível sobre Indicadores de Sustentabilidade e Responsabilidade Social Corporativa realizado pela PricewaterhouseCoopers e avaliou não só a imagem do setor siderúrgico brasileiro (e de 12 empresas em particular), como também a percepção destes formadores de opinião sobre uma série de indicadores de sustentabilidade social, cultural e ambiental.

Projeto Sicília – Desenvolvimento sustentável na Itália

Em 2005 a Ruschel & Associados desenvolveu, para um investidor brasileiro, um projeto de desenvolvimento sustentado de base comunitária na Sicília, Itália.

O “Projeto Sicília” tem como suporte a recuperação de Patrimônios Históricos na região do Vale do Âlcantara (região do vulcão Etna), atividades de geração de renda e ocupação e o desenvolvimento de programa de turismo de qualidade para turistas brasileiros e norte-americanos. O projeto tem previsão de 3 anos de implantação e os recursos, estimados em torno de U$ 4 milhões, serão captados junto a investidores de origem italiana nos Estados Unidos (especialmente região de Nova Iorque) e na Itália.

Solicite uma apresentação completa deste case pelo e-mail rogerio@ruscheleassociados.com.br ou pelo fone +55-11-4702-9006

Sabesp – Cia. de Saneamento Básico do Estado de São Paulo

Em 1997 a Ruschel & Associados Marketing Ecológico foi convidada pela Sabesp para participar no desenvolvimento de um “Plano de Conservação do Sistema Cotia de Abastecimento Hídrico”. O trabalho seria um projeto-piloto de gestão de mananciais e de tratamento de recursos hídricos com tecnologia inovadora que passaria a cobrar pela oferta da água limpa para empresas, a ser apresentado para um financiamento do Banco Mundial.

Integrante do Programa de Mananciais da Região Metropolitana de São Paulo, o Sistema do rio Cotia (Alto Cotia/Manancial e Baixo Cotia/Estação de Tratamento) apresenta um potencial diferenciado para servir como modelo de projeto integrado de Reuso Induzido de Recursos Hídricos, a partir da utilização da técnica de wetlands e da implantação de parques ecológicos de entorno.

Para desenhar o modelo teórico do Sistema, a Sabesp contratou organizações de alta credibilidade, como a FBDS – Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (que fez a gestão do projeto); o IPT – Instituto de Pesquisas Teconlógicas da USP (responsável pela definição da tecnologia de engenharia de wetlands); a Universidade de Campinas (responsável pela pesquisa de potenciais compradores e pela pesquisa de preço final); e a Ruschel & Associados, que foi responsável pelo desenho de um Projeto-modelo de Marketing e Comunicação (relacionamento com as comunidades atingidas), associado ao projeto.

Solicite uma apresentação completa deste case, incluindo as pesquisas realizadas pelo e-mail rogerio@ruscheleassociados.com.br ou pelo fone +55-11-4702-9006

SBS – Sociedade Brasileira de Silvicultura

Entre 1994 e 1996 a Ruschel & Associados prestou consultoria crporativa para a SBS – Sociedade Brasileira de Silvicultura, organização empresarial da indústria de base florestal no país (fabricantes de madeira, essências, gomas, papel e celulose).

Neste período a Ruschel & Associados prestou vários serviços:

- Implantação de uma política de relacionamento com a sociedade civil (tratava-se de uma organização fechada)

- Programa de comunicação com formadores de opinião

- Desenvolvimento de anúncios e folhetaria

- Colaboração editorial com a revista “Silvicultura”

- Estudos mercadológicos para a implantação do CERFLOR, um selo de certificação de origem para a madeira

- Estudos prospectivos de projetos de reflorestamento envolvendo a sociedade civil e prefeituras municipais

- Organização de seminários internos de sensibilização “comunitária” e “social” dos associados

- Realização de pesquisas relacionando o setor florestal e as comunidades limítrofes

Tropical Flora

Entre 2005 e 2007 a Ruschel & Associados colaborou para a agregação de valor mercadológico, redesenho organizacional, relacionamento institucional, divulgação e marketing dos projetos de reflorestamento comercial em larga escala com espécies nativas desenvolvidos pela Tropical Flora Reflorestamento.

Com sede em Santo André-SP e fazendas na região de Garças-SP, a Tropical Flora promove investimentos em espécies nativas com madeira “de lei”, especialmente Guanandi (Calophyllum brasiliense). Em 4 projetos já implantados, tem um total de mais de 2 milhões de árvores plantadas em 1.300 hectares e uma produção de mudas de mais de 1 milhão de unidades viáveis por ano de dezenas de espécies nativas.

Primeira madeira de lei brasileira, aos 18 anos o guanandi pode alcançar 45 metros de altura e 180 centímetros de diâmetro no tronco, gerando em média 0,90 m3 por árvore – o m3 de madeiras de lei atualmente está cotado em torno de US$ 20,000.00. Além de plantios próprios, a Tropical Flora presta serviços de implantação de florestas para terceiros (investidores PF e PJ, administradores de fundos de investimento, fundos de previdência e fundos de pensão), comercialização de mudas e consultoria técnica. Convênios com entidades de pesquisa científica do Brasil e do Exterior vão produzir informações técnicas para permitir a oferta da madeira no mercado internacional em bases competitivas de mercado.

Unibanco

Entre 1994 e 1996 a Ruschel & Associados prestou serviços de consultoria para o projeto Unibanco Ecologia na área de marketing e comunicação. O foco do trabalho foi traduzir em um Plano de Ação com alta segmentação, a estratégia de marketing corporativo do banco, o que incluiu a divulgação do Unibanco Ecologia junto a públicos selecionados – somente potenciais autores de projetos e formadores de opinião – num processo de “visibilidade controlada”

Por “visibilidade controlada” o Unibanco entendia a valorização do projeto junto a determinados públicos, específicamente pequenas comunidades com potencial para geração de projetos patrocinados (municípios pequenos, de determinadas regiões do país), formadores de opinião no âmbito ambientalista e jornalistas especializados em meio ambiente.

As principais atividades da Ruschel & Associados foram:
- planejamento de comunicação
- trabalho seletivo de assessoria de imprensa
- organização de encontros de dirigentes do Unibanco com lideranças ambientais e autoridades públicas
- visitas de formadores de opinião a projetos patrocinados

A Ruschel & Associados também desenvolveu folhetos promocionais de suporte a ONGs e outros documentos, e redigiu o case do Unibanco Ecologia que recebeu inúmeros prêmios.

Votorantim Celulose e Papel

Programa de Educação Ambiental – PEA
Suporte em audiência pública – Projeto P-2000
Programa de Educação Ambiental – PEA

Contratada em 1990 pela Indústrias Papel Simão para colaborar em uma crise de relacionamento comunitário, a Ruschel & Associados realizou um abrangente programa de educação ambiental durante 9 anos, que foi mantido pelo Grupo Votorantim, quando este adquiriu a Papel Simão em 1995.

Ao invés de “fazer alguma coisa ecológica” (que era o costume na época), a empresa optou pelo caminho mais longo da educação. O “PEA-Programa de Educação Ambiental” é um conjunto de cursos e seminários, concursos, gincanas, programas de visitação, edição de cartilhas, jogos e posters educativos e outras atividades de preservação considerado o mais bem-sucedido programa de educação ambiental em empresas, tendo merecido vários prêmios, entre os quais destacam-se:
- Dois “Selos Verde” outorgados pela Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo para os jogos educativos “Uma aventura no Vale do Paraíba” e “Uma aventura na Mata Atlântica”
- Dois prêmios “Opinião Pública”, outorgados pelo Conselho Regional e pelo Conselho Nacional de Relações Públicas

- Dois prêmios “Aberje”, outorgados pela Associação Brasileira de Profissionais de Comunicação do Brasil

Suporte em audiência pública – Projeto P-2000

Em 2002 fomos contratados pela Votorantim Celulose e Papel para colaborar no processo de audiências públicas do projeto de duplicação da fábrica de celulose e papel de Jacareí-SP, denominado “P-2000”.

A Ruschel & Associados analisou a apresentação do Empreendedor, o Relatório de Impacto Ambiental preparados pela empresa de engenharia independente (ERM) e revisou as apresentações do ponto de vista de um ombudsman dos diversos stakeholders locais e regionais. Fizemos também a aplicação de nosso exclusivo “check-list de 60 pontos”, um roteiro de providências para evitar surpresas, hostilidades e contra-tempos durante a audiência pública.

Solicite uma apresentação do case PEA e sobre o check-list de 60 pontos pelo e-mail rogerio@ruscheleassociados.com.br ou pelo fone +55-11-4702-9006

Vale do Rio Doce

Em 2005 fomos contratados pela cia. Vale do Rio Doce – atualmente Vale – para colaborar na preparação de Audiências Públicas de apresentação de EIA-RIMA sobre o “Projeto Niquel do Vermelho”, em Canaã de Carajás, Marabá e Belém, no Pará. Fizemos a análise crítica das apresentações, da comunicação e do ambiente de relacionamento comunitário, além de aplicar um check-list de 60 pontos. A solicitação da CVRD foi baseada na experiência da Ruschel & Associados em projeto semelhante realizado para a apresentação dos estudos de duplicação da capacidade de produção da unidade industrial de Jacareí – SP, da Votorantim Celulose e Papel.

Solicite uma apresentação deste case, incluindo o check-list de 60 pontos pelo e-mail rogerio@ruscheleassociados.com.br ou pelo fone +55-11-4702-9006

Veracel

Em 2008 fomos contratados pela Veracel para criticar as apresentações do Empreendedor e da empresa independente de engenharia relacionadas ao processo de audiências públicas da duplicação da fábrica de celulose em Eunápolis-BA, um investimento de US$ 1 bilhão dos sócios Aracruz Celulose e Stora Enzo, para produzir 2,4 milhões de toneladas/ano de celulose.

A Ruschel & Associados participou de um workshop de tres dias com a alta direção e técnicos da Veracel e das empresas especializadas Serenge e Cepemar, analisando os estudos de impacto ambiental existentes e revisando as apresentações do ponto de vista de um ombudsman dos diversos stakeholders locais, regionais, nacionais e internacionais.

Volkswagen do Brasil

eventoVW

Em 2008 a Ruschel & Associados, em parceria com a Auto Visão, empresa de negócios sustentáveis do Grupo Volkswagen, planejou a realização do “Primeiro Encontro sobre Sustentabilidade na Cadeia Produtiva” para a Volkswagen do Brasil.

O objetivo do evento era apresentar a Política de sustentabilidade mundial da empresa e os procedimentos para enquadramento de fornecedores nas novas práticas e requerimentos. O evento também agendou intercâmbio de informações e apresentação de cases de sucesso de boas práticas de sustentabilidade na redução de consumo energético e de insumos, iniciativas de redução de emissão de gases de efeito estufa e as atividades de Responsabilidade Socioambiental da Fundação Volkswagen.

Com realização planejada para meados de dezembro, em São Bernardo do Campo-SP, foi cancelado poucos dias antes, por causa do recrudescimento da crise financeira global; a expectativa é de realização ainda em 2009.

WWF Brasil

Em 1995 o WWF Brasil – Fundo Mundial para a Natureza contratou a Ruschel & Associados para colaborar com o evento “Primeira Feira de Produtos Florestais do Acre”, realizado em Rio Branco-AC por jovens politicos, entre os quais os atuais senadores Marina Silva e Tião Viana. Nosso papel foi o de facilitar a transferência de know-how entre os grupos participantes: de um lado pesquisadores acadêmicos de vários paises (alguns se comunicando mal em português), e de outro, produtores florestais  como comunidades indígenas, grupos de colonizadores, silvicultores e organizações sindicalistas. Complementarmente, a Ruschel & Associados prestou “consultoria de balcão” para organizações como a Associação Chico Mendes, a Prefeitura de Xapuri e uma tribo da nação Kaxinauá. A WWF/Brasil foi parceira de outro projeto da Ruschel & Associados Marketing Ecológico, a realização de uma pesquisa nacional sobre o perfil do profissional de ecoturismo (ver turismo sustentável).